Sutilezas

Entre vestígios de obra abandonada, uma folha acorda os sentidos. Palavra delicada em meio aos discursos enferrujados. Assim como ela, há tantas flores que crescem nas falhas do asfalto, gentilezas dentro da multidão ansiosa, atitudes de solidariedade sobrepondo-se à competição. Sutis, sinceras. Amenizam os ruídos, enternecem os ventos brutos. Uma ponta de vida ainda não … Continuar lendo Sutilezas

Contemplação

Na sacada, fiquei por alguns minutos, tentando ser plateia deste teatro do qual todos somos personagens. Venci a culpa do inútil. Como assim? Deixar as tarefas com uma certa finalidade para me permitir a observação dos corpos sobre as pedras urbanas? Sim, preciso enxergar multiplicidade. Sapatos sociais, pressa, chinelos de dedo, calma, vestido florido, leveza. … Continuar lendo Contemplação

Nuvens

Esperamos claridade. Associamos felicidade à paisagem ensolarada. Pura idealização. Temos de estar prontos para tudo. A insistir nas rotas mesmo debaixo de mau tempo. Mais que o fim, importa o durante. Os 365 dias em conjunto. As reentrâncias do caminho. Nem sempre tal qual desejamos, mas belo e intenso por si só. A instabilidade convoca … Continuar lendo Nuvens

Natal

Num desses dias de Porto Alegre tórrida, fui fotografar as obras na Av.Tronco. Em meio ao calçamento inacabado, vi enfeites natalinos confeccionados com garrafas PET, pneus e a simplicidade de uma comunidade unida em busca de celebração. Desloquei-me até aquela atmosfera do boneco de neve e esqueci brevemente os 36°. Não era um pinheiro gigante, … Continuar lendo Natal

Subsequente

Há pesadelos que nos enroscam em labirintos. Mas logo a luz da manhã invade e lembramos de acordar. Seguimos. A sequência de horas, sentimentos, linhas a serem preenchidas.Tão simples como um dia após o outro. Sob o fio condutor do tempo. Ágil, discreto, silencioso. Não é que ele apague as marcas das feridas. As histórias … Continuar lendo Subsequente

Refrescar a mente

Aventuras. Precisamos delas. De um lado, a zona de conforto convida para uma vida mecânica. De outro, os sonhos nos chamam. Por que deixá-los para depois, se podemos nos atirar, destemidos, à felicidade? Movidos por ideais, saltamos todos os obstáculos. As paixões desconstroem a monotonia dos dias programados. Às vezes, elas se encontram tímidas, acostumadas … Continuar lendo Refrescar a mente

Personagens

Abro um livro como quem abre uma casa. Escancara as janelas. Deixa a luz entrar. As ideias chegam de mansinho e, com o passar das páginas, tomam conta. Inquietas, trocam os móveis de lugar, questionam. No mesmo embalo, adentra a criatividade. Aponta caminhos, alternativas. Desvela o infinito do espaço limitado. Sim, sempre é possível uma … Continuar lendo Personagens

Indeléveis

De repente, a despedida. As reticências se pronunciam agudas. Lacuna. A falta que faz, a saudade. Resta-nos aceitar e cultivar as boas memórias. Em algum lugar, eles devem estar sorrindo para nós. Por isso, homenageá-los. A finitude inexiste para os que amam. Os sentimentos não emudecem. Pelo contrário, compõem sinfonias. As pessoas especiais moram dentro … Continuar lendo Indeléveis

Torcida

Tão animadas estavam as crianças com a bola que nem se importaram com a minha presença. Assim mantiveram a espontaneidade, o que é ótimo para um fotógrafo. No foco, os pés ávidos pela vitória. Alguns tiraram seus chinelos de dedo e jogaram futebol descalços. Mais livres para viver a molecagem. O recreio, a turma, os … Continuar lendo Torcida